sexta-feira, janeiro 24, 2014

Melhor é o teu amor...

Sentir-se amado é uma das necessidades básicas do ser humano. Por isso, o amor tem grande importância no casamento. Um casamento sem amor é como uma noite sem luar. Falta-lhe romantismo, luz e brilho.
No Cântico dos Cânticos, a esposa declara ao esposo: 
“Melhor é o teu amor do que o vinho” (Ct 1.2). E o esposo faz este apelo a esposa: “Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte” (Ct 8.6).
Mas, amar não é fácil. Difícil também é saber a forma correta de comunicar ao nosso cônjuge o nosso amor. A dificuldade se torna ainda maior porque as pessoas têm instrumentos diferentes para captar o amor de seu cônjuge. O Dr Gary Chapman, conselheiro matrimonial, depois de estudos e pesquisas, reuniu em cinco grupos as formas como as pessoas expressam e recebem manifestações de amor. Ele classificou esses grupos e deu-lhes a denominação: As Cinco Linguagens do Amor. Vejamos o que ele nos diz sobre estas maneiras de comunicar o amor:

1. PALAVRAS DE AFIRMAÇÃO

Algumas palavras só se sentem amadas quando são alvo de palavras de afirmação. A mais profunda necessidade dessas pessoas é ser apreciadas. Por isso, elas precisam de elogios, de palavras de apreciação ou de palavras de encorajamento para elevar a sua auto-estima e sentirem-se amadas e felizes. Isso significa que elogios, palavras de apreciação e palavras de encorajamento são os meios pelos quais elas captam a declaração e a afirmação de amor de seu cônjuge. Esses instrumentos criam intimidade, curam feridas e permitem a livre expansão do potencial dessas pessoas.

2. QUALIDADE DE TEMPO

Os elogios, as palavras de apreciação e as palavras de encorajamento não satisfazem as necessidades emocionais de todas as pessoas. Algumas pessoas só captam a declaração e a afirmação de amor de seu cônjuge por meio da atenção dedicada a elas. Estas pessoas só sentem-se amadas, aceitas e queridas quando seu cônjuge dedica-lhe tempo, compartilhando, ouvindo e participando de suas atividades. Essas pessoas necessitam da companhia atenciosa de seu cônjuge. Destacamos a expressão companhia atenciosa porque, para elas, o importante é a atenção do outro. Elas tem necessidade emocional e psicológica de ser “curtidas” pelo cônjuge. Para elas, aproveitar a vida e o casamento significa estarão lado do cônjuge e tê-lo ao seu lado também.

3. RECEBER PRESENTES

Existem pessoas que só captam a declaração e a afirmação de amor de seu companheiro(a) através de mimos, de presentes que recebem. Para estas pessoas os presentes – sejam eles comprados ou feitos pelo cônjuge, simples ou luxuosos – são símbolos visuais do amor. Por isso, elas tem necessidade emocional de receber presentes. A leitura que fazem do presente é diferenciada. Para elas o valor monetário do presente é secundário. Tanto faz um presente caro, quanto um presente barato. A não ser que “haja uma enorme discrepância entre o que se deu e o que se poderia oferecer”. Porque para elas o importante é o presente em si e não o seu valor monetário. Ao receber o presente, elas dizem consigo mesmas: “Ele(a) se preocupa comigo; ele(a) me valoriza; lembrou-se de mim; me ama”.


4. FORMAS DE SERVIR

Outras pessoas só se sentem amadas quando seu cônjuge faz coisas que elas apreciam. Essas pessoas captam a declaração e a afirmação de amor de seu cônjuge por meio de serviços que o cônjuge lhe presta, fazendo para elas aquilo que elas consideram importante. Para algumas esposas que assimilam esta linguagem do amor, o importante é o marido ajudá-las a cuidar dos filhos e ajudar nas tarefas domésticas. Para lguns maridos que tem essa linguagem de amor, o importante é a esposa preparar os pratos que eles apreciam... Para estas pessoas , os elogios, as palavras de apreciação e de encorajamento, ou a companhia atenciosa, ou mesmo os presentes não são provas de amor. Elas sentem-se amadas quando servidas.

5. TOQUE FÍSICO

Existem também pessoas que só captam a declaração e a afirmação de amor de seu cônjuge por meio de toque físico. O toque físico pode ser um afago, um abraço, um beijo ou outras formas de toques amorosos. O tipo de toque varia de uma pessoas para outra. No Cântico dos Cânticos, a esposa diz ao esposo: “Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho” (Ct 1.2). Ela não diz “melhor é o teu beijo do que o vinho” – mas ela diz “melhor é o teu amor...” Para ela, o beijo era o meio pelo qual o esposo transmitia-lhe seu amor. Assim também ela divaga em seus pensamentos lembrando e ansiando o toque de seu amado (Ct 9.1-3 e 5.4). Esta esposa do texto bíblico, é semelhante a muitos outros cônjuges. Sua leitura de amor passa pelo toque. O presente, a companhia, as palavras contribuem na caminhada. Mas para elas, nada revela mais o amor do que o toque, o carinho.


(Extraído - Oficina de Casamentos - Adão C. Nascimento)
Postar um comentário